quinta-feira, maio 23, 2024
InícioRiomafraSouza Cruz - Sessenta anos de progresso para Rio Negro

Souza Cruz – Sessenta anos de progresso para Rio Negro

- Advertisement -

Instalada no Município de Rio Negro, em 17 de novembro de 1960, com o nome de Companhia de Cigarros Souza Cruz, a empresa alavancou o progresso não só do Município de Rio Negro, como também, da sua coirmã Mafra e demais comunidades nas adjacências.

A importância da empresa não se resume só na questão da utilização da mão de obra em seu parque fabril. O interior dos municípios circunvizinhos, também foram favorecidos pelas atividades da empresa que disseminou novas tecnologias.

Há de se destacar que a empresa desde que aqui se instalou, foi também um vetor para o desenvolvimento cultural e social, permitindo o surgimento de escolas particulares, de idiomas e outros. Tal fato ocorreu porque a mesma exigia mão de obra altamente qualificada e mantinha, e ainda mantêm uma seleção rigorosa na contratação da mão de obra, seja ela técnica, gestão de pessoas ou para o exercício de atividades mais simples.

Rio Negro e seu povo, pode e deve se orgulhar, em ter instalada em seu território uma das grandes empresas mundiais, que não se preocupa somente na questão de lucro, mas também no cuidado de seus colaboradores, permitindo que os mesmos evoluíssem como seres humanos, oportunizando melhorar a qualidade de vida, um bom status social e fazendo com que gozassem e, ainda gozem de um elevado convívio social.

Dedica-se da exploração do plantio e beneficiamento do fumo. Esta Empresa Fumageira, assegura estabilidade econômica financeira aos seus colaboradores e indiretamente de muitas pessoas que fixaram suas atividades em seu entorno.  A partir de sua instalação nasceram novas empresas prestadoras de serviços que, na ânsia de ser copartícipe dessa evolução, capacitaram seus colaboradores para, assim prestar serviços que eram terceirizados ou agregados.

Foi com a instalação e o desenvolvimento da Souza Cruz que o bairro Bom Jesus se tornou o bairro mais importante do Município, podendo atualmente ser considerado o mais charmoso e o mais luxuoso, que ainda hoje goza de um intenso desenvolvimento.

A empresa Souza Cruz jamais se negou a prestar auxílio ao Município nos momentos de catástrofe, como enchentes, epidemia e outros males, sempre disponibilizando material humano e veículos para auxiliar a combater os estados de necessidade que ocorriam na região do Sudeste do PR., ou no Planalto Norte Catarinense, buscando de forma singela, mais responsável, demonstrar a sua importância, não só na arrecadação de imposto, como também no campo econômico e social.

Operando em três turnos, ofertando nos períodos sazonais 1.000 empregos que, se multiplicado por quatro, considerando um núcleo familiar composto por quatro pessoas, marido, mulher e dois filhos, são 4.000 mil pessoas beneficiadas por uma só empresa, mas a mesma emprega em torno de 200 empregados efetivos, chegando a 4.800 pessoas que integram a família Souza Cruz.

Pois bem, as últimas providências administrativas tomadas pela Souza Cruz merecem ser levadas ao conhecimento da população e principalmente das autoridades administrativas para que não sejam surpreendidas com medidas que possam entristecer e porque não dizer, empobrecer nossa região.

Tal afirmação decorre das precisões que em 2020, apesar da pandemia, a empresa processou sessenta e sete milhões de quilos de tabaco, mas, prevê para 2021 um processamento de apenas 40 milhões, situação que causa apreensão e ainda, tornou-se mais temerária quando visualizando que tal quantidade de tabaco não será necessário que a usina rode em três turnos. Com isso, haverá a redução da mão de obra e consequentemente na arrecadação de impostos e da renda per capita.

Finalizando, avaliando a situação que se aproxima, é de se pensar em como evitar que a sexagenária, de vital importância para toda região, possa continuar a gerar emprego e renda para a cidade e arredores.

Fica aqui o alerta, a toda comunidade para que passe desde logo a exigir de nossas autoridades providências para que num futuro não tenhamos um desastre social-econômico-financeiro. Não podemos permanecer inertes até que o desemprego entre em nossas casas. O berço é esplêndido hoje, mas amanhã pode ser apenas berço de um povo sem esperança.

Valdemir Wielewski – Presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fumo de Rio Negro

 

 

 

 

 

Últimas Notícias