ALERTA! Comparativo é entre o mês inteiro de dezembro com apenas os 12 dias de janeiro. Mais de 700 pessoas estão com a doença ativa e diagnosticada em Mafra e Rio Negro

Você com certeza conhece alguém que positivou para covid-19 ou está com sintomas gripais desde a virada de ano, não é mesmo? O aumento de infecções não é apenas percepção: os casos confirmados da doença da pandemia em RioMafra já cresceram 12 vezes nos 12 primeiros dias deste mês, no comparativo com o mês inteiro de dezembro.

Desde o início da pandemia 14.272 casos foram confirmados em Rio Negro e Mafra. Os últimos boletins das duas prefeituras ainda apontam que mais de 777 casos estiveram ativos nos últimos 14 dias, e os números não param de crescer: apenas hoje (12) Mafra confirmou mais 109 casos e ontem (11) Rio Negro anunciou 45 novas confirmações – ou seja, mais de 150 positivações.

A situação só não é pior graças à vacinação, que diminui os riscos de complicações provenientes da doença – tanto é, que nem Mafra e nem Rio Negro possuem pacientes na UTI covid-19.

Vacina

Em Mafra os dados mais atualizados são de até segunda-feira (10): 96,96% da população vacinável já recebeu a primeira dose, 91,26% já recebeu a segunda dose e 21,19% estão com a dose de reforço no braço.

Já em Rio Negro os últimos dados divulgados são do dia 3 de janeiro. A prefeitura não apresenta as porcentagens de público vacinável imunizado, mas, para se ter ideia, enquanto que a população total é estimada em 34.645 habitantes, 25.656 já receberam a primeira dose, 20.794 a segunda e 5.206 a dose de reforço.

H3N2

Mafra ainda não divulgou dados relativos à contaminação de H3N2, variação do vírus da gripe (Influenza) que possui sintomas parecidos com os da covid-19. Em Rio Negro, até o dia 5 de janeiro, 27 pessoas já haviam positivados para esta condição.

Leia também: Paraná confirma transmissão comunitária de Ômicron e epidemia de H3N2

Boletins da covid-19 e Mafra e Rio Negro

A seguir, veja os últimos boletins da covid-19 de RioMafra:

Por Millena Sartori/Tribuna da Fronteira

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.